pazuelo

Bolsonaro não definiu número exato de doses que devem chegar ao país | Carolina Antunes | PRCarolina Antunes | PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta quinta-feira, 4, que em abril devem chegar ao Brasil “alguns milhões” de doses da vacina contra a Covid-19 da Pfizer.

“Onde tiver vacina para comprar, nós vamos comprar. Por que o Pazuello [ministro da Saúde] assinou ontem contrato com a Pfizer? Porque a Pfizer é clara, está lá no contrato: ‘Não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral’. Daí, o pessoal fala que eu falei que vai virar um jacaré. Não tem mais figura de linguagem no Brasil para esses idiotas da imprensa”, disse Bolsonaro.

“Então, já que o Congresso falou que pode comprar essa vacina, o Pazuello ontem assinou o contrato. Vamos comprar. No mês que vem, eu não sei a quantidade, mas vão chegar alguns milhões aqui no Brasil”, explicou o presidente a apoiadores.

O Ministério da Saúde decidiu, nesta quarta-feira, 3, fechar a compra de doses das vacinas da Pfizer e da Janssen, após meses rejeitando propostas das duas empresas.

O governo federal quer adquirir 100 milhões de doses da vacina do laboratório Pfizer e outras 38 milhões de doses da vacina da Janssen. Os imunizantes devem ser entregues até dezembro de 2021. A intenção de compra foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), na quarta-feir, 3.

Nesta quinta, o presidente rebateu cobranças pela compra de vacinas e disse que a oferta está baixa no mundo inteiro.

O governo tem sido pressionado para ampliar a oferta de imunizantes, após a explosão de novos casos de Covid-19 com internações e colapso de sistemas de saúde em todo o país.

“Tem idiota, que a gente vê nas redes sociais, na imprensa, dizendo: ‘Vai comprar vacina’. Só se for na casa da tua mãe. Não tem para vender no mundo.”

Bolsonaro tem agenda nesta quinta-feira em São Simão (GO), onde vai inaugurar trecho da Ferrovia Norte-Sul. Ele fez uma parada não prevista na cidade mineira de Uberlândia (MG).