WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
afrojapa

radio up

iris calcados
maio 2021
D S T Q Q S S
« abr    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

:: ‘Covid’

Bahia é o segundo estado com menos mortes por covid-19 por 100 mil habitantes

Quanto ao número total de casos o estado ocupa a sétima posição.

Tribuna da Bahia, Salvador
11/01/2021 06:30 | Atualizado há 2 horas e 46 minutos

 Foto: Reuters / Pilar Olivares / Direitos Reservados


Por Yuri Abreu

Se o número de casos e de mortes pelo novo coronavírus na Bahia vem crescendo desde o final do novembro, quando do período eleitoral, o estado, em comparação com outras unidades federativas, vem apresentando índices satisfatórios com relação a quantidade de óbitos e registros positivos da doença, quando o enfoque é dado a parcela de pessoas infectadas a cada 100 mil habitantes.

Conforme os dados do site Brasil.io e que tem como base as secretarias estaduais de Saúde dos 26 estados e do Distrito Federal – os dados são do dia 9 de janeiro, a Bahia é o sétimo com relação ao número de casos por 100 mil habitantes. Foram 3.424 até a noite do último sábado, o que deixa o estado atrás de Pernambuco (2.401), Rio de Janeiro (2.648), Minas Gerais (2.761), Maranhão (2.838), Alagoas (3.226) e São Paulo (3.328). Neste ranking, o primeiro lugar é de Roraima, com 11.048 mortes a cada 100 mil habitantes.

Por outro lado, quanto ao número de mortes, também dentro do mesmo índice, a Bahia ocupa a segunda colocação, com 62,9 óbitos, atrás apenas do estado de Minas Gerais, que possui 59,15 a cada 100 mil habitantes. Os três primeiros colocados nesta triste estatística, por outro lado, são o Rio de Janeiro, com 153,77 mortes, Distrito Federal (142,42 óbitos) e o Amazonas – que atualmente vive uma das realidades mais dramáticas do país pela covid-19 –, com 134,73 mortes a cada 100 mil habitantes.

Porém, se forem considerados os números absolutos de casos e mortes do coronavírus, a Bahia sobe muitas posições em ambos os rankings. No primeiro, os 511.192 registros positivos da doença fazem com que o estado fique atrás apenas de São Paulo (1.540.513 casos), Minas Gerais (567.868) e Santa Catarina (518.805). Nos óbitos, a unidade da federação está em sétimo, com 9.392. À frente da Bahia, aparecem os estados de São Paulo (48.298 mortes), Rio de Janeiro (26.704), Minas Gerais (12.594), Ceará (10.150), Pernambuco (9.826) e Rio Grande do Sul (9.413).

BOLETIM

Em boletim divulgado ontem, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) informou que, nas últimas 24 horas, foram 1.649 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,3%) e 1.570 recuperados (+0,3%). Dos 512.841 casos confirmados desde o início da pandemia, 6.875 encontram-se ativos. Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,37%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100 mil habitantes foram: Ibirataia (10.514,63), Muniz Ferreira (8.636,49), Conceição do Coité (8.533,00), Jucuruçu (8.163,49) e Pintadas (8.096,20).

Quanto ao número de óbitos, o boletim deste domingo do órgão estadual contabilizou 32 mortes, que ocorreram em datas diversas – 25 desde o dia 1º de janeiro. desde o início da pandemia, o número total de óbitos pelo novo coronavírus, no estado é de 9.424, representando uma letalidade de 1,84%. Dentre os óbitos, 56,48% ocorreram no sexo masculino e 43,52% no sexo feminino.

Em relação ao quesito raça e cor, 55,03% corresponderam a parda, seguidos por branca com 19,26%, preta com 14,71%, amarela com 0,66%, indígena com 0,13% e não há informação em 10,22% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 70,85%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,61%).

 

 

 

Brasil tem 8,10 milhões de casos de covid-19 e 29,7mil nas últimas 24h

Total de pessoas recuperadas da doença chega a 7,16 milhões

Tribuna da Bahia, Salvador
10/01/2021 21:58 | Atualizado há 11 horas e 14 minutos

 Foto: Reginaldo Ipê / Tribuna da Bahia


O balanço divulgado neste domingo (10) pelo Ministério da Saúde registra 29.792 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 8.105.790 pessoas infectadas pela doença desde o início da pandemia.

Segundo o Ministério da Saúde, de ontem até às 18h de hoje (10) foram confirmadas 469 mortes em decorrência de complicações causadas pelo vírus. Com isso, o total de pacientes que perderam a vida chega 203.100 pessoas.

Ainda, de acordo com o ministério, 7.167. 651 pessoas (88,4%) já se recuperaram da covid-19. Outras 735.039 (9,1%) estão em acompanhamento e 2.603 casos continuam sendo investigados.

O balanço do ministério é feito a partir de registros reunidos pelas secretarias estaduais de Saúde e enviados à pasta para consolidação.

Covid-19 nos estados

São Paulo se mantém com o maior número de casos no país e chegou hoje (10) a 1.546.132 pessoas contaminadas, com 48.351 óbitos. Os outros estados com maior número de casos no país são Minas Gerais (592.311), Santa Catarina (520.577) e Bahia (512.841). Já o Acre tem o menor número de casos (43.127), seguido de Roraima (69.732) e Amapá (70.902).

Fonte: Agência Brasil

Indonésia: vacina CoronaVac tem 65,3% de eficácia em testes no país

vac

A CoronaVac, vacina contra a Covid-19 da farmacêutica chinesa Sinovac, teve 65,3% de eficácia em testes realizados na Indonésia. Foi o que revelaram os resultados preliminares da última fase de testes do imunizante no país.

A vacina também é testada no Brasil, em parceria com o instituto Butantan, e sua eficácia foi de 78% para casos leves e de 100% contra mortes, casos graves e internações nos voluntários. Na Turquia, por exemplo, a CoronaVac teve 91,2% de eficácia contra o novo coronavírus. Se uma vacina tem 78% de eficácia para casos leves, isso significa dizer que 78% das pessoas que tomam a vacina ficam protegidas contra aquela doença.

A taxa mínima recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 50%. Na útima quinta-feira, 7, o Butantan solicitou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a aprovação emergencial do imunizante no Brasil.

A Tarde

Bolsonaro assina decreto que reabre crédito de quase R$ 20 bilhões para compra de vacinas

Bolsonaro assina decreto que reabre crédito de quase R$ 20 bilhões para compra de vacinas

Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quinta-feira (7) um decreto que reabre a liberação de crédito extraordinário de R$ 19,9 bilhões para custear vacinação da população contra a Covid-19. O valor já estava previsto em uma Medida Provisória (MP) editada em 17 de dezembro, no fim do exercício financeiro. Em razão do pouco tempo para aplicação do dinheiro até o fim do ano passado, explicou o governo, o decreto reabrindo o crédito foi necessário.

“O decreto visa a garantia e a disponibilidade de recursos financeiros para ações necessárias à produção de vacina segura e eficaz na imunização da população brasileira contra a Covid-19”, disse a Secretaria-Geral da Presidência da República, em nota. “Vale ressaltar que a medida possui previsão constitucional, sendo exceção à regra do teto de gastos, e que parte do dinheiro já foi utilizado na compra de insumos, como seringas e agulhas”, acrescentou o órgão.

Segundo a Agência Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) teve mais uma série de reuniões nesta quinta com laboratórios produtores de vacinas. A autarquia, no entanto, informou que ainda não recebeu nenhum pedido de uso emergencial ou de registro definitivo de vacinas contra o coronavírus no Brasil. As reuniões foram de troca de informações, orientações e esclarecimentos de questões técnicas, segundo explicou a Anvisa. O Brasil ultrapassou nesta quinta a marca de 200 mil mortes por Covid-19.

Primeiro caso de mutação mais contagiosa do coronavírus é detectado em Salvador

mutação

Uma mulher de Salvador é o primeiro caso confirmado de reinfecção no Brasil com uma mutação do coronavírus encontrada inicialmente na África do Sul e que ligou o alerta das autoridades de saúde no mundo. A linhagem com a mutação da Bahia é a mesma identificada pela primeira vez no estado do Rio de Janeiro, cuja descoberta foi anunciada em dezembro.

Essa mutação preocupa porque atinge uma região crucial do coronavírus. Com isso, em tese, ela pode tornar o vírus mais transmissível. Essa mesma mutação afeta também a região do vírus alvo da maioria das vacinas.

Até então não há evidências que ela afeta a eficácia dos imunizantes, mas isso será investigado. Uma outra mutação da linhagem encontrada no Reino Unido e que já se espalhou por mais de 30 países atinge a mesma região do coronavírus.

 Liderado por Bruno Solano, do Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (IDOR) e do Hospital São Rafael, em Salvador, o estudo foi submetido à revista Lancet. A descoberta já foi comunicada ao Ministério da Saúde e às autoridades de saúde da Bahia.

“Esse tipo de estudo é essencial para compreender a propagação da pandemia e identificar a tempo mudanças no vírus que possam ter impacto na transmissão e nas vacinas”, destaca Solano

Correio da Bahia

Com mais de 500 mil casos de Covid-19, especialistas veem cenário preocupante na Bahia

Rodrigo Aguiar

mortes

A Bahia ultrapassou 500 mil casos de Covid-19, sendo o quarto estado brasileiro a exceder essa marca, depois de São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina. De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), são 505.918 casos confirmados na Bahia desde o início da pandemia do novo coronavírus.

:: LEIA MAIS »

Boletim Covid: 970 pessoas seguem se recuperando da Covid-19 em Conquista

O município registrou, até esta quarta-feira (6), o total de 14.970 casos confirmados da Covid-19, sendo que 13.768 deles são de pessoas já recuperadas da doença e 970 que ainda seguem em recuperação – 35 em internamento hospitalar e 935 em tratamento domiciliar.

Ainda há 8.491 casos suspeitos de infecção pela Covid-19 que aguardam por classificação final, dos quais: 8.164 esperam pela investigação laboratorial e 327 pelo resultado do exame RT-PCR – as amostras são encaminhadas para análise no Lacen Estadual.

Foram confirmados hoje (6), os óbitos de mais dois pacientes que estavam internados e tiveram complicações causadas pela Covid.

231º óbito – Homem de 75 anos, morador do bairro Panorama I, sem comorbidades mencionadas.  Estava internado desde o dia 28 de dezembro no Hospital de Clínicas de Conquista (HCC), onde evoluiu para óbito no dia 3 de janeiro.

232º óbito – Homem de 62 anos, morador do bairro Panorama, portador de Doença Cardiovascular, Diabetes Melito e Obesidade. Estava internado desde o dia 25 de dezembro no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), onde faleceu em 4 de janeiro.

Ocupação de Leitos – Atualmente, a rede hospitalar do SUS no município disponibiliza 153 leitos (70 de UTI e 83 enfermarias) para tratamento de pacientes confirmados ou com suspeita de infecção pela Covid-19. Neste momento, 100 pacientes estão internados nos leitos disponíveis – são residentes de Vitória da Conquista e dos seguintes municípios da macrorregião:

…Leia na íntegra

Blog da Resenha Geral

Em MP, Bolsonaro permite compra de vacina sem licitação e antes de registro na Anvisa

por Ricardo Della Coletta e Natália Cancian | Folhapress

Em MP, Bolsonaro permite compra de vacina sem licitação e antes de registro na Anvisa

Foto: John Cairns/ Oxford University

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou uma MP (Medida Provisória) que estabelece um processo simplificado para a compra de vacina contra a Covid-19 e de insumos necessários para a imunização da população.

A medida permite que o poder público celebre contratos sem licitação para aquisição de imunizantes e insumos, inclusive antes do registro sanitário conferido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O Palácio do Planalto destaca que o início da vacinação da população só será permitido para imunizantes que recebam o aval da Anvisa.

A MP tem força de lei e pavimenta o caminho para o governo comprar vacinas no mercado internacional.

A administração Bolsonaro tem sido criticada pelo atraso e por gargalos na organização da campanha nacional de imunização, que ainda não tem uma data oficial para ser iniciada. Outros países, inclusive da América Latina, já começaram a imunizar os chamados grupos prioritários.

A norma editada por Bolsonaro permite, por exemplo, que a administração pública possa realizar pagamentos antecipados para a compra de vacinas contra o coronavírus.

Em outro trecho, a MP estabelece que a Anvisa poderá conceder autorização excepcional e temporária para importação e distribuição de qualquer vacina contra o vírus desde que ela tenha recebido luz verde de autoridades sanitárias de Estados Unidos, União Europeia, Japão, China ou Reino Unido.

Pela MP, profissionais de saúde que administrarem a vacina que tenha recebido autorização para uso emergencial pela Anvisa deverão avisar os pacientes sobre “potenciais riscos e benefícios do produto”.

Para o ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina Neto, a exigência da comunicação é uma “bobagem sem tamanho”.

“Seja emergencial ou não, a segurança e a qualidade da vacina não estão comprometidas por conta do tipo de registro que está sendo decidido. O registro emergencial não diminui a análise que é feita da vacina. Estão fazendo essa confusão por causa dessa bobagem que o Bolsonaro fala de que as pessoas vão virar jacaré”, disse.

Em meados de dezembro, Bolsonaro se queixou que a Pfizer, uma das fabricantes mundiais da vacina, não se responsabiliza por possíveis efeitos colaterais.

“Se tomar [vacina] e virar um jacaré é problema seu. Se virar um super-homem, se nascer barba em mulher ou homem falar fino, ela [Pfizer] não tem nada com isso”, afirmou.

 

O presidente tem questionado a eficácia de vacinas e levantado dúvidas sobre possíveis efeitos colaterais, embora os principais laboratórios que desenvolvem imunizantes contra a Covid tenham relatado episódios adversos leves.

 

Em um guia sobre o uso emergencial de vacina, a Anvisa estabelece que empresas que solicitem autorização temporária precisam garantir que os pacientes serão informados sobre os “benefícios e riscos significativos e conhecidos e potenciais associados ao uso emergencial da vacina”.

Covid-19: 354 milhões de doses estão asseguradas em 2021, diz Pazuello

Tribuna da Bahia, Salvador
06/01/2021 21:20 | Atualizado há 11 horas e 26 minutos

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou hoje (6), em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, que o Brasil tem asseguradas, para este ano, 354 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Do total, 254 milhões serão produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a AstraZenica, e 100 milhões pelo Butantan, em parceria com a empresa Sinovac.

:: LEIA MAIS »

Governo e prefeitura afirmam ter seringas suficientes para iniciar vacinação

Rodrigo Aguiar

seringa

Em meio à indefinição do governo Bolsonaro sobre a compra de seringas e agulhas para a vacinação contra a Covid-19, governo do Estado e prefeitura de Salvador dizem contar com a estrutura necessária para iniciar a imunização, mesmo com a requisição administrativa feita pelo Ministério da Saúde a fabricantes dos produtos, o que poderia fazer as empresas priorizarem o governo federal.

:: LEIA MAIS »

checkup day

mg personal

muay thai


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia